segunda-feira, 17 de outubro de 2011

De Volta para o Futuro II

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

De Volta Para o Futuro II (Back to the Future Part II, 1989)

Estreia oficial: 22 de novembro de 1989
Estreia no Brasil: 14 de dezembro de 1989
IMDb



"De Volta Para o Futuro II" deu um nó na minha cabeça quando o assisti ainda criança. Mas a trama, que na época, me parecia tão complicada, nem é tanto assim, basta um pouco de atenção para conseguir acompanhar as aventuras de Marty McFly e 'Doc' Brown.

Vou resumir: o filme retoma exatamente onde o primeiro parou, com 'Doc' Brown (Christopher Lloyd) voltando do futuro para levar Marty (Michael J. Fox), e Jennifer - agora interpretada por Elisabeth Shue - afim de não deixarem o filho destes se meter em confusão. Porém, quando estão no futuro, o velho Biff (Thomas F. Wilson) rouba o DeLorean para voltar para 1955 e entregar à sua versão jovem uma revista que contém todos os resultados de jogos de 1950 a 2000, para que este se torne milionário. Quando Marty e 'Doc' voltam para 1985, se deparam com um presente alternativo, onde Biff (agora milionário) é o dono de Hill Valley e casado com a mãe de Marty, Lorraine (Lea Thompson), e onde o pai de Marty, George, fôra assassinado. Para resolver esse problemão, 'Doc' e Marty têm que voltar justamente para a noite do baile de formatura de seus pais - aquela do primeiro filme - que foi justamente quando o Biff velho entregou a revista para o jovem Biff. Assim, Marty tem que reaver a revista e, ao mesmo tempo, evitar encontrar-se com sua outra versão (a do primeiro filme) que também está em 1955. Ah, nem é tão complicado assim, não é mesmo?

O roteiro, novamente de autoria de Robert Zemeckis e Bob Gale, aposta em situações que remetem à algumas do longa original, como Marty acordando com sua mãe ao lado (agora em um 1985 alternativo) e falando que teve um sonho estranho; ou na cena onde ele foge de Biff - ou melhor, Griff - e seus capangas pelo centro de Hill Valley (agora em 2015), utilizando desta vez um skate voador, tanto que o velho Biff (que presencia a cena) comenta: "isso me parece familiar". São associações que fazem uma releitura do primeiro filme, fazendo graça e atualizando piadas que já funcionaram, de maneira criativa. Assim, já que não teriam mais o ineditismo da ideia de viajar pelo tempo, os roteiristas abusaram das auto-referências e de uma dose ainda maior de ação.

Os efeitos visuais deste segunda longa voltam a ser excepcionais, assim como a maquiagem dos atores; e assim, a cena em que Michael J. Fox interpreta três personagens (o Marty envelhecido, seu filho e sua filha) em um mesmo plano é extremamente convincente. Aliás, Zemeckis e Gale abusaram do recurso de colocar o mesmo ator em um mesmo plano, assim vemos Michael J. Fox como a sua família de 2015; o Biff de 2015 contracenar com seu neto, Griff (também interpretado por Thomas F. Wilson); o Biff de 2015 e o Biff de 1955; o Doutor Brown de 1985 e o de 1955; assim como as duas versões de Marty de 1985 que estão em 1955.

Novamente como no longa original, as mudanças sofridas na cidadezinha de Hill Valley são um charme à parte. E, mais uma vez, tomando-a como um personagem do filme, vemos que o ar sombrio que adquire no 1985 alternativo muda toda a estética do filme. Assim como seu deisgn futurista em 2015.

Mais uma vez o elenco aparece inspirado, sendo que Michael J. Fox é o 'dono' absoluto do longa. Christopher Lloyd também se destaca com suas caras e bocas.

Enfim, Robert Zemeckis dirige uma continuação à altura do primeiro longa, e já dando pistas para sua continuação seguinte (na época, os filmes foram gravados simultaneamente). Imperdível!

Fica a dica!


por Melissa Lipinski


3 comentários:

Hugo disse...

Uma das melhores trilogias da história do cinema.

Esta segunda parte é extremamente complexa em suas idas e vindas, mas tem um roteiro perfeito.

Até mais

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa disse...

Adoro o filme. Também acho interessante que pouquíssimas pessoas reparem no fato de ter havido uma mudança no elenco. A personagem Jennifer Parker, interpretada por Claudia Wells no primeiro filme,é, no segundo filme, interpretada por Elisabeth Shue.