segunda-feira, 3 de março de 2014

Oscar: 86ª Edição - 2013

OBS: Vencedores em vermelho.

* Apresentação: Helen DeGeneres

FILME
- Trapaça (American Hustle)
- Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
- Gravidade (Gravity)
- Ela (Her)
- Nebraska
- Philomena
- 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

ATOR
- Christian Bale - Trapaça (American Hustle)
- Bruce Dern - Nebraska
- Leonardo DiCaprio - O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)
- Chiwetel Ejiofor - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Matthew McConaughey - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)

ATRIZ 
- Amy Adams - Trapaça (American Hustle)
- Cate Blanchett - Blue Jasmine
- Sandra Bullock - Gravidade (Gravity)
- Judi Dench - Philomena
- Meryl Streep - Álbum de Família (August: Osage County)

ATOR COADJUVANTE
- Barkhad Abdi - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Bradley Cooper - Trapaça (American Hustle)
- Michael Fassbender - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Jonah Hill - O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)
- Jared Leto - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)

ATRIZ COADJUVANTE
- Sally Hawkins - Blue Jasmine
- Jennifer Lawrence - Trapaça (American Hustle)
- Lupita Nyong'o - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Julia Roberts - Álbum de Família (August: Osage County)
- June Squibb - Nebraska

DIREÇÃO 
- David O. Russell - Trapaça (American Hustle)
- Alfonso Cuarón - Gravidade (Gravity)
- Alexander Payne - Nebraska
- Steve McQueen - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Martin Scorsese - O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

ANIMAÇÃO
- Os Croods (The Croods)
- Meu Malvado Favorito 2 (Despicable Me 2)
- Ernest & Celestine (Ernest et Célestine)
- Frozen - Uma Aventura Congelante (Frozen)
- Vidas ao Vento (Kaze Tachinu/ The Wind Rises)

FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA 
- Alabama Monroe (The Broken Circle Breakdown) - Bélgica
- A Grande Beleza (La Grande Bellezza/ The Great Beauty) - Itália
- A Caça (Jagten/ The Hunt) - Dinamarca
- A Imagem que Falta (L'Image Manquante/ The Missing Picture) - Camboja
- Omar - Palestina

ROTEIRO ADAPTADO 
- Richard Linklater, Julie Delpy e Ethan Hawke - Antes da Meia Noite (Before Midnight)
- Billy Ray - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Steve Coogan e Jeff Pope - Philomena
- John Ridley - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Terence Winter - O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

ROTEIRO ORIGINAL 
- Eric Warren Singer e David O. Russell - Trapaça (American Hustle)
- Woody Allen - Blue Jasmine
- Craig Borten e Melisa Wallack - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
- Spike Jonze - Ela (Her)
- Bob Nelson - Nebraska

FOTOGRAFIA
- Philippe Le Sourd - O Grande Mestre (Yi Dai Zong Shi/ The Grandmaster)
- Emmanuel Lubezki - Gravidade (Gravity)
- Bruno Delbonnel - Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
- Phedon Papamichael - Nebraska
- Roger A. Deakins - Os Suspeitos (Prisoners)

EDIÇÃO 
- Jay Cassidy, Crispin Struthers e Alan Baumgarten - Trapaça (American Hustle)
- Christopher Rouse - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- John Mac McMurphy e Martin Pensa - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
- Alfonso Cuarón e Mark Sanger - Gravidade (Gravity)
- Joe Walker - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

DIREÇÃO DE ARTE 
- Judy Becker e Heathe Loeffler - Trapaça (American Hustle)
- Andy Nicholson, Rosie Goodwin e Joanne Woollard - Gravidade (Gravity)
- Catherine Martin e Beverley Dunn - O Grande Gatsby (The Great Gatsby)
- K.K. Barrett e Gene Serdena - Ela (Her)
- Adam Stockhausen e Alice Baker - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

FIGURINO
- Michael Wilkinson - Trapaça (American Hustle)
- William Chang Suk Ping - O Grande Mestre (Yi Dai Zong Shi/ The Grandmaster)
- Catherine Martin - O Grande Gatsby (The Great Gatsby)
- Michael O'Connor - The Invisible Woman
- Patricia Norris - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

MAQUIAGEM E PENTEADO
- Adruitha Lee e Robin Mathews - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
- Stephen Prouty - Vovô Sem Vergonha (Jackass Presents: Bad Grandpa)
- Joel Harlow e Gloria Pasqua-Casny - O Cavaleiro Solitário (The Lone Ranger)

TRILHA SONORA
- John Williams - A Menina que Roubava Livros (The Book Thief)
- Steven Price - Gravidade (Gravity)
- William Butler e Owen Pallett - Ela (Her)
- Alexander Desplat - Philomena
- Thomas Newman - Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks)

CANÇÃO
- "Alone Yet Not Alone", de Bruce Broghton e Dennis Spiegel - Alone Yet Not Alone (Excluída da competição)
- "Happy", de Pharrell Williams - Meu Malvado Favorito 2 (Despicable Me 2)
- "Let It Go", de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez - Frozen - Uma Aventura Congelante (Frozen)
- "The Moon Song", de Karen O e Spike Jonze - Ela (Her)
- "Ordinary Love", de Bono, The Edge, Adam Clayton Larry Mullen e Brian Burton - Mandela: Long Walk to Freedom

EDIÇÃO DE SOM 
- Steve Boeddeker e Richard Hymns - Até o Fim (All Is Lost)
- Oliver Tarney - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Glenn Freemantle - Gravidade (Gravity)
- Brent Burge - O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug)
- Wylie Stateman - O Grande Herói (Lone Survivor)

MIXAGEM DE SOM
- Chris Burdon, Mark Taylor, Mike Prestwood Smith e Chris Munro - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Skip Lievsay, Niv Adiri, Christopher Benstead e Chris Munro - Gravidade (Gravity)
- Christopher Boyes, Michael Hedges, Michael Semanick e Tony Johnson - O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug)
- Skip Lievsay, Greg Orloff e Peter F. Kurland - Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
- Andy Koyama, Beau Borders e David Brownlow - O Grande Herói (Lone Survivor)

EFEITOS VISUAIS
- Tim Webber, Chris Lawrence, Dave Shirk e Neil Corbould - Gravidade (Gravity)
- Joe Letteri, Eric Saindon, David Clayton e Eric Reynolds - O Hobbit: A Desolação de Smaug (The Hobbit: The Desolation of Smaug)
- Christopher Townsend, Guy Williams, Erik Nash e Dan Sudick - Homem de Ferro 3 (Iron Man 3)
- Tim Alexander, Gary Brozenich, Edson Williams e John Frazier - O Cavaleiro Solitário (The Lone Ranger)
- Roger Guyett, Patrick Tubach, Ben Grossmann e Burt Dalton - Além da Escuridão - Star Trek (Star Trek Into Darkness)

DOCUMENTÁRIO
- O Ato de Matar (The Act of Killing) - Dinamarca
- Cutie and the Boxer - EUA
- Dirty Wars - EUA
- Al Midan/ The Square - Egito
- 20 Feet from Stardom - EUA

CURTA DOCUMENTÁRIO
- Cavedigger - EUA
- Facing Fear - EUA
- Karama Has No Walls - Emirados Árabes
- The Lady in Number 6: Music Saved My Life - Canadá
- Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hall - EUA

CURTA-METRAGEM 
- Aquel No Era Yo /That Wasn't Me - Espanha
- Avant Que De Tout Perdre/ Just Before Losing Everything - França
- Helium - Dinamarca
- Pitääkö Mun Kaikki Hoitaa?/ Do I Have to Take Care of Everything? - Finlândia
- The Voorman Problem - Reino Unido

CURTA DE ANIMAÇÃO 
- Feral - EUA
- Get a Horse! - EUA
- Mr. Hublot - Luxemburgo/ França
- Possessions - EUA
- Room on the Broom - Reino Unido

sábado, 11 de janeiro de 2014

71º Globo de Ouro: 2014

OBS: Os vencedores estão marcados de vermelho.

PRÊMIO CECIL B. DEMILLE
- Woody Allen

MELHOR FILME - DRAMA
- 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Gravidade (Gravity)
- Rush - No Limite da Emoção (Rush)
- Philomena

MELHOR ATRIZ - DRAMA
- Cate Blanchett - Blue Jasmine
- Sandra Bullock - Gravidade (Gravity)
- Judi Dench - Philomena
- Emma Thompson - Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks)
- Kate Winslet - Refém da Paixão (Labor Day)

MELHOR ATOR - DRAMA
- Chiwetel Ejiofor - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Idris Elba - Mandela: Long Walk to Freedom
- Tom Hanks - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Matthew McConaughey - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)
- Robert Redford - Até o Fim (All Is Lost)

MELHOR FILME - COMÉDIA OU MUSICAL
- Trapaça (American Hustle)
- Ela (Her)
- Inside Llewyn Davis - Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
- Nebraska
- O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)

MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL
- Amy Adams - Trapaça (American Hustle)
- Julie Delpy - Antes da Meia-Noite (Before Midnight)
- Greta Gerwig - Frances Ha
- Julia Louis-Dreyfus - À Procura do Amor (Enough Said)
- Meryl Streep - Álbum de Família (August: Osage County)

MELHOR ATOR - COMÉDIA OU MUSICAL
- Christian Bale - Trapaça (American Hustle)
- Bruce Dern - Nebraska
- Leonardo DiCaprio - O Lobo de Wall Street (The Wolf of Wall Street)
- Oscar Isaac - Inside Llewyn Davis - Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
- Joaquin Phoenix - Ela (Her)

MELHOR ANIMAÇÃO
- Frozen - Uma Aventura Congelante (Frozen)
- Os Croods (The Croods)
- Meu Malvado Favorito 2 (Despicable Me 2)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
- Azul É a Cor Mais Quente (La Vie d'Adèle/ Blue Is the Warmest Color) - França
- A Grande Beleza (La Grande Bellezza/ The Great Beauty) - Itália
- A Caça (Jagten/ The Hunt) - Dinamarca
- O Passado (Le Passé/ The Past) - França
- Vidas ao Vento (Kaze Tachinu/ The Wind Rises) - Japão

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
- Sally Hawkins - Blue Jasmine
- Jennifer Lawrence - Trapaça (American Hustle)
- Lupita Nyong'o - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Julia Roberts - Álbum de Família (August: Osage County)
- June Squibb - Nebraska

MELHOR ATOR COADJUVANTE
- Barkhad Abdi - Capitão Phillips (Captain Phillips)
- Daniel Brühl - Rush - No Limite da Emoção (Rush)
- Bradley Cooper - Trapaça (American Hustle)
- Michael Fassbender - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Jared Leto - Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club)

MELHOR DIRETOR
- Alfonso Cuarón - Gravidade (Gravity)
- Paul Greengrass - Capitão Phillip (Captain Phillip)
- Steve McQueen - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- David O. Russell - Trapaça (American Hustle)
- Alexander Payne - Nebraska

MELHOR ROTEIRO

- John Ridley - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)
- Eric Singer e David O. Russell - Trapaça (American Hustle)
- Spike Jonze - Ela (Her)
- Bob Nelson - Nebraska
- Steve Coogan e Jeff pope - Philomena

MELHOR TRILHA SONORA
- Alex Ebert - Até o Fim (All Is Lost)
- John Williams - A Menina que Roubava Livros (The Book Thief)
- Steven Price - Gravidade (Gravity)
- Alex Heffes - Mandela: Long Walk to Freedom
- Hans Zimmer - 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

MELHOR CANÇÃO
- "Atlas", música e letra de Chris Martin, Guy Berryman, Jonny Buckland e Will Champion - Jogos Vorazes: Em Chamas (The Hunger Games: Catching Fire)
- "Let It Go", música e letra de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez - Frozen: Uma Aventura Congelante (Frozen)
- "Ordinary Love", música e letra de Bono, Adam Clayton, The Edge, Larry Mullen Jr. e Brian Burton - Mandela: Long Walk to Freedom
- "Please Mr. Kennedy" - música e letra de T-Bone Burmett, Ethan Coen, Joel Coen, justin Timberlake, George Cromaty e Ed Rush - Balada de um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)
- "Sweeter Than Fiction" - música e letra de Jack Antonoff e Taylor Swift - One Chance


MELHOR SÉRIE - DRAMA
- Breaking Bad
- Downton Abbey
- The Good Wife
- House of Cards
- Master of Sex

MELHOR ATRIZ - SÉRIE DRAMA
- Julianna Margulies - The Good Wife
- Tatiana Maslany - Orphan Black
- Taylor Schilling - Orange Is the New Black
- Kerry Washington - Scandal
- Robin Wright - House of Cards

MELHOR ATOR - SÉRIE DRAMA
- Bryan Cranston - Breaking Bad
- Liev Schreiber - Ray Donovan
- Michael Sheen - Masters of Sex
- Kevin Spacey - House of Cards
- James Spader - The Blacklist

MELHOR SÉRIE - COMÉDIA OU MUSICAL
- The Big Bang Theory
- Brooklyn Nine-Nine
- Girls
- Modern Family
- Parks and Recreation

MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL
- Zooey Deschanel - New Girl
- Lena Dunham - Girls
- Edie Falco - Nurse Jackie
- Julia Louis-Dreyfus - Veep
- Amy Poehler - Parks and Recreation

MELHOR ATOR - COMÉDIA OU MUSICAL
- Jason Bateman - Arrested Development
- Don Cheadle - House of Lies
- Michael J. Fox - The Michgael J. Fox Show
- Jim Parsons - The Big Bang Theory
- Andy Samberg - Brooklyn Nine-Nine

MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- American Horror Story: Coven
- Behind the Candelabra
- Dancing the Edge
- Top of the Lake
- The White Queen

MELHOR ATRIZ - MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Helena Bohan Carter - Burton and Taylor
- Rebecca Ferguson - The White Queen
- Jessica Lange -American Horror Story: Coven
- Helen Mirren - Phil Spector
- Elisabeth Moss - Top of the Lake

MELHOR ATOR - MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Matt Damon - Behind the Candelabra
- Michael Douglas - Behind the Candelabra
- Chiwetel Eliofor - Dancing on the Edge
- Idris Elba - Luther
- Al Pacino - Phil Spector

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE - SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Jacqueline Bisset - Dancing on the Edge
- Janet McTeer - The White Queen
- Hayden Panettiere - Nashville
- Monica Potter - Parenthood
- Sofia Vergara - Modern Family

MELHOR ATOR COADJUVANTE - SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Josh Charles - The Good Wife
- Rob Lowe - Behind the Candelabra
- Aaron Paul - Breaking Bad
- Corey Stoll - House of Cards
- Jon Voight - Ray Donovan

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Oscar: 85ª Edição - 2012

OBS: Os vencedores estão em vermelho.

* Apresentação: Seth MacFarlane

FILME
- Amor (Amour)
- Argo
- Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)
- Django Livre (Django Unchained)
- Os Miseráveis (Les Misérables)
- As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Lincoln
- O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)

DIREÇÃO 
- Michael Haneke - Amor (Amour)
- Benh Zeitlin - Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)
- Ang Lee - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Steven Spielberg - Lincoln
- David O. Russell - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)

ATOR
- Bradley Cooper - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Daniel Day-Lewis - Lincoln
- Hugh Jackman - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Joaquin Phoenix - O Mestre (The Master)
- Denzel Washington - O Voo (Flight)

ATRIZ 
- Jessica Chastain - A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)
- Jennifer Lawrence - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Emmanuelle Riva - Amor (Amour)
- Quvenzhané Wallis - Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)
- Naomi Watts - O Impossível (The Impossible)

ATOR COADJUVANTE
- Alan Arkin - Argo
- Robert De Niro - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Philip Seymour Hoffman - O Mestre (The Master)
- Tommy Lee Jones - Lincoln
- Christoph Waltz - Django Livre (Django Unchained)

ATRIZ COADJUVANTE
- Amy Adams - O Mestre (The Master)
- Sally Fields - Lincoln
- Anne Hathaway - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Helen Hunt - As Sessões (The Sessions)
- Jacki Weaver - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)

ANIMAÇÃO
- Valente (Brave)
- Frankenweenie
- Paranorman
- Piratas Pirados! (The Pirates! Band of Misfits)
- Detona Ralph (Wreck-It Ralph)

FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
- Amor (Amour), de Michael Haneke - Áustria
- Expedição Kon-Tiki (Kon-Tiki), de Joachim Rønning e Espen Sandberg - Noruega
- No, de Pablo Larraín - Chile
- O Amante da Rainha (En Kongelig Affære/ A Royal Affair), de Nikolaj Arcel - Dinamarca
- Rebelle (War Witch), de Kim Nguyen - Canadá

ROTEIRO ADAPTADO 
- Chris Terrio - Argo
- Lucy Alibar e Benh Zeitlin - Indomável Sonhadora (Beasts of the Southern Wild)
- David Magee - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Tony Kushner - Lincoln
- David O. Russell - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)

ROTEIRO ORIGINAL 
- Michael Haneke - Amor (Amour)
- Quentin Tarantino - Django Livre (Django Unchained)
- John Gatins - O Voo (Flight)
- Wes Anderson e Roman Coppola - Moonrise Kingdom
- Mark Boal - A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)

FOTOGRAFIA
- Seamus McGarvey - Anna Karenina
- Robert Richardson - Django Livre (Django Unchained)
- Claudio Miranda - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Janusz Kaminski - Lincoln
- Roger Deakins - 007 - Operação Skyfall (Skyfall)

EDIÇÃO 
- William Goldenberg - Argo
- Tim Squyres - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Michael Kahn - Lincoln
- Jay Cassidy e Crispin Struthers - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Dylan Tichenor e William Goldenberg - A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)

DIREÇÃO DE ARTE 
- Sarah Greenwood e Katie Spencer - Anna Karenina
- Dan Hennah, Ra Vincent e Simon Bright - O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey)
- Eve Stewart e Anna Lynch-Robinson - Os Miseráveis (Les Misérables)
- David Gropman e Anna Pinnock - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Rick Carter e Jim Erickson - Lincoln

FIGURINO
- Jacqueline Durran - Anna Karenina
- Paco Delgado - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Joanna Johnston - Lincoln
- Eiko Ishioka - Espelho, Espelho Meu (Mirror, Mirror)
- Colleen Atwood - Branca de Neve e o Caçador (Snow White and the Huntsman)

MAQUIAGEM 
- Howard Berger, Peter Montagna e Martin Samuel - Hitchcock
- Peter Swords King, Rick Findlater e Tami Lane - O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey)
- Lisa Westcott e Julie Dartnell - Os Miseráveis (Les Misérables)

TRILHA SONORA
- Dario MArianelli - Anna Karenina
- Alexander Desplat - Argo
- Mychael Danna - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- John Williams - Lincoln
- Thomas Newman - 007 - Operação Skyfall (Skyfall)

CANÇÃO
- "Before My Time", de J. Ralph - Chasing Ice
- "Everybody Needs a Best Friend", de Walter Murphy e Seth MacFarlane - Ted
- Pi's Lullaby", de Mychael Danna e Bombay Jayashri - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- "Skyfall", de Adele Adkins e Paul Epworth - 007 - Operação Skyfall (Skyfall) 
- "Suddenly", de Claude-Michel Schönberg, Herbert Kretzmer e Alain Boublil - Os Miseráveis (Les Misérables)

EDIÇÃO DE SOM 
- Erik Aadahl e Ethan Van der Ryn - Argo
- Wylie Stateman - Django Livre (Django Unchained)
- Eugene Gearty e Philip Stockton - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Per Hallberg e Karen Baker Landers - 007 - Operação Skyfall (Skyfall)
- Paul N. J. Ottosson - A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)

MIXAGEM DE SOM
- John Reitz, Gregg Rudloff e Jose Antonio Garcia - Argo
- Andy Nelson, Mark Paterson e Simon Hayes - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Ron Bartlett, D. M. Hemphill e Drew Kunin - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Andy Nelson, Gary Rydstrom e Ronald Judkins - Lincoln
- Scott Millan, Greg P. Russell e Stuart Wilson - 007 - Operação Skyfall (Skyfall) 

EFEITOS VISUAIS
- Joe Letteri, Eric Saindon, David Clayton e R. Christopher White - O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey)
- Bill Westenhoffer, Guillaume Rocheron, Erik-Jan De Boer e Donald R. Elliott - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Janek Sirrs, Jeff White, Guy Williams e Dan Sudick - Os Vingadores (Marvel's The Avengers)
- Richard Stammers, Trevor Wood, Charley Henley e Martin Hill - Prometheus
- Cedric Nicolas-Troyan, Philip Brennan, Neil Corbould e Michael Dawson - Branca de Neve e o Caçador (Snow White and the Huntsman)

DOCUMENTÁRIO
- 5 Broken Cameras
- The Gatekeepers
- How to Survive a Plague
- The Invisible War
- Searching for Sugar Man

CURTA DOCUMENTÁRIO
- Sean Fine e Andrea Nix Fine - Inocente
- Sari Gilman e Jedd Wider - Kings Point
- Cynthia Wade e Robin Honan - Mondays at Racine
- Kief Davidson e Cori Shepherd Stern - Open Heart
- Jon Alpert e Matthew O'Neill - Redemption

CURTA-METRAGEM 
- Bryan Buckley e Mino Jarjoura - Asad
- Sam French e Ariel Nasr - Buzkashi Boys
- Shawn Christensen - Curfew
- Tom Van Avermaet e Ellen De Waele - Dood van Een Schaduw (Death of a Shadow)
- Yan England - Henry

CURTA DE ANIMAÇÃO 
- Minkyu Lee - Adam and Dog
- PES - Fresh Guacamole
- Timothy Reckart e Fodhla Cronin O'Reilly - Head Over Heels
- David Silverman - Maggie Simpson in "The Longest Daycare"
- John Kahrs - Paperman

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

70º Globo de Ouro - 2013

OBS: Os vencedores estão marcados de vermelho.

PRÊMIO CECIL B. DEMILLE
- Jodie Foster

MELHOR FILME - DRAMA
-
Argo
- Django Livre (Django Unchained)
- As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Lincoln
- A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)

MELHOR ATRIZ - DRAMA
- Jessica Chastain -
A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)
- Marion Cotillard - Ferrugem e Osso (De Rouille et d'Os /Rust and Bone)
- Helen Mirren - Hitchcock
- Naomi Watts - O Impossível (The Impossible)
- Rachel Weisz - The Deep Blue Sea
 
MELHOR ATOR - DRAMA
- Da
niel Day-Lewis - Lincoln
- Richard Gere - A Negociação (Arbitrage)
- John Hawkes - As Sessões (The Sessions)
- Joaquin Phoenix - O Mestre (The Master)
- Denzel Washington - O Voo (Flight) 

MELHOR FILME - COMÉDIA OU MUSICAL
- O Exótico Hotel Marigold (The Best Exotic Marigold Hotel)
- Os Miseráveis (Les Misérables)
- Moonrise Kingdom
- Amor Impossível (Salmon Fishing in the Yemen)
- O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook) 

MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL
- Emily Blunt -
Amor Impossível (Salmon Fishing in the Yemen)
- Judi Dench - O Exótico Hotel Marigold (The Best Exotic Marigold Hotel)
- Jennifer Lawrence - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Maggie Smith - Quartet
- Meryl Streep - Um Divã Para Dois (Hope Springs) 
 
MELHOR ATOR - COMÉDIA OU MUSICAL
- Jack Black - Bernie

- Bradley Cooper - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Hugh Jackman - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Ewan McGregor -  Amor Impossível (Salmon Fishing in the Yemen)
- Bill Murray - Um Final de Semana em Hyde Park (Hyde Park on Hudson)  

MELHOR ANIMAÇÃO
- Valente (Brave)

- Frankenweenie
- Hotel Transilvânia (Hotel Transylvania)
- A Origem dos Guardiões (Rise of the Guardians)
- Detona Ralph (Wreck-It Ralph)

MELHOR FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
- Amor (Amour) - Áustria

- En Kongelig Affære (A Royal Affair) - Dinamarca
- Intocáveis (Les Intouchables) - França
- Kon-Tiki - Noruega, Reino Unido e Dinamarca
- Ferrugem e Osso (De Rouille et d'Os /Rust and Bone)

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
- Amy Adams - O Mestre (The Master)

- Sally Field - Lincoln
- Anne Hathaway - Os Miseráveis (Les Misérables)
- Helen Hunt - As Sessões (The Sessions)
- Nicole Kidman - The Paperboy 

MELHOR ATOR COADJUVANTE
- Alan Arkin - Argo
- Leonardo DiCaprio - Django Livre (Django Unchained)
- Philip Seymour Hoffman - O Mestre (The Master)
- Tommy Lee Jones - Lincoln
- Christoph Waltz - Django Livre (Django Unchained)

MELHOR DIRETOR
- Ben Affleck - Argo

- Kathryn Bigelow - A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)
- Ang Lee - As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Steven Spielberg - Lincoln
- Quentin Tarantino - Django Livre (Django Unchained)
 
MELHOR ROTEIRO
- Mark Boal - 
A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty)
- Tony Kushner - Lincoln
- David O. Russell - O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook)
- Quentin Tarantino - Django Livre (Django Unchained)
- Chris Terrion - Argo  
 
MELHOR TRILHA SONORA
- Mychael Danna -
As Aventuras de Pi (Life of Pi)
- Alexander Desplat - Argo
- Dario Marianelli - Anna Karenina
- Tom Tykwer, Johnny Klimek e Reinhold Heil - A Viagem (Cloud Atlas)
- John Williams - Lincoln
 
MELHOR CANÇÃO
- "For You", música e letra de
Monty Powell e Keith Urban - Ato de Coragem (Act of Valor)
- "Not Running Anymore", música e letra de Jon Bon Jovi - Amigos Inseparáveis (Stand Up Guys)
- "Safe & Sound", música e letra de Taylor Swift, John Paul White, Joy Williams e T Bone Burnett- Jogos Vorazes (The Hunger Games)
- "Skyfall" - música e letra de Adele e Paul Epworth - 007 - Operação Skyfall (Skyfall)
- "Suddenly" - música de Claude-Michel Schonberg, letra de Herbert Kretzmer e Alain Boublil - Os Miseráveis (Les Misérables)

MELHOR SÉRIE - DRAMA
- Breaking Bad

- Boardwalk Empire
- Downton Abbey: Season 2
- Homeland
- The Newsroom

MELHOR ATRIZ - SÉRIE DRAMA
- Connie Britton - Nashville
- Glenn Close - Damages

- Claire Danes - Homeland
- Michelle Dockery - Downton Abbey: Season 2
- Julianna Margulies - The Good Wife

MELHOR ATOR - SÉRIE DRAMA
- Steve Buscemi - Boardwalk Empire
- Bryan Cranston - Breaking Bad

- Jeff Daniels - The Newsroom
- Jon Hamm - Mad Men
- Damian Lewis - Homeland

MELHOR SÉRIE - COMÉDIA OU MUSICAL
- The Big Bang Theory

- Episodes
- Girls
- Modern Family
- Smash

MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL
- Zooey Deschanel - New Girl

- Julia Louis-Dreyfus - Veep
- Lena Dunham - Girls
- Tina Fey - 30 Rock
- Amy Poehler - Parks and Recreation

MELHOR ATOR -
COMÉDIA OU MUSICAL
- Alec Baldwin - 30 Rock
- Don Cheadle - House of Lies

- Louis C. K. - Louie
- Matt LeBlanc - Episodes

- Jim Parsons - The Big Bang Theory
 
MELHOR MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Game Change

- The Girl
- Hatfields & McCoys
- The Hour
- Political Animals

MELHOR ATRIZ -
MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Nicole Kidman - Hemingway & Gellhorn

- Jessica Lange - American Horror Story: Asylum
- Suenna Miller - The Girl
- Julianne Moore - Game Change
- Sigourney Weaver - Political Animals

MELHOR ATOR -
MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Kevin Costner - Hatfields & McCoys

- Benedict Cumberbatch - Sherlock (Masterpiece)
- Woody Harrelson - Game Change
- Toby Jones - The Girl
- Clive Owen - Hemingway & Gellhorn

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE - SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Hayden Panettiere - Nashville

- Archie Panjabi - The Good Wife
- Sarah Paulson - Game Change
- Maggie Smith - Downtown Abbey: Season 2
- Sofia Vergara - Modern Family

MELHOR ATOR COADJUVANTE
- SÉRIE, MINISSÉRIE OU FILME PARA TV
- Max Greenfield - New Girl

- Ed Harris - Game Change
- Danny Huston - Magic City
- Mandy Patinkin - Homeland
- Eric Stonestreet - Modern Family

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Oscar: 84ª Edição - 2011

* Apresentação: Billy Cristal

FILME
- O Artista (The Artist)
- Os Descendentes (The Descendants)
- Tão Forte e Tão Perto (Extremely Loud and Incredibly Close)
- Histórias Cruzadas (The Help)
- A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris, 2011) 
- O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball, 2011)
- A Árvore da Vida (The Tree of Life)
- Cavalo de Guerra (War Horse)

DIREÇÃO 
- Woody Allen - Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris)
- Michel Hazanavicius - O Artista (The Artist)
- Terrence Malick - A Árvore da Vida (The Tree of Life)
- Alexander Payne - Os Descendentes (The Descendants)
- Martin Scorsese - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)

ATOR
- Demián Bichir - Uma Vida Melhor (A Better Life)
- George Clooney - Os Descendentes (The Descendants)
- Jean Dujardin - O Artista (The Artist)
- Gary Oldman - O Espião que Sabia Demais (Tinker Tailor Soldier Spy)
- Brad Pitt - O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball, 2011)

ATRIZ 
- Glenn Close - Albert Nobbs (Albert Nobbs)
- Viola Davis - Histórias Cruzadas (The Help)
- Rooney Mara - Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo)
- Michelle Williams - Sete Dias com Marilyn (My Week With Marilyn)

ATOR COADJUVANTE
- Kenneth Branagh - Sete Dias com Marilyn (My Week with Marilyn)
- Jonah Hill - O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball)
- Nick Nolte - Guerreiro (Warrior)
- Christopher Plummer - Toda Forma de Amor (Beginners)
- Max von Sydow - Tão Forte e Tão Perto (Extremely Loud and Incredibly Close)

ATRIZ COADJUVANTE
- Bérénice Bejo - O Artista (The Artist)
- Jessica Chastain - Histórias Cruzadas (The Help)
- Melissa McCarthy - Missão Madrinha de Casamento (Bridesmaids)
- Janet McTeer - Albert Nobbs (Albert Nobbs)
- Octavia Spencer - Histórias Cruzadas (The Help)

ANIMAÇÃO
- Um Gato em Paris (Une Vie de Chat)
- Chico & Rita (Chico & Rita)
- Kung Fu Panda 2 (Kung Fu Panda 2)
- Gato de Botas (Puss in Boots)
- Rango (Rango)

FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
- Hearat Shulayim (Footnote), de Joseph Cedar - Israel
- In Darkness, de Agnieszka Holland - Polônia
- A Separação (Jodaeiye Nader az Simin) - Irã 
- Monsieur Lazhar, de Philippe Falardeau - Canadá
- Rundskop (Bullhead), de Michael R. Roskam - Bélgica

ROTEIRO ADAPTADO 
- Alexander Payne, Nat Faxon e Jim Rash - Os Descendentes (The Descendants)
- John Logan - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- George Clooney, Grant Heslov e Beau Willimon - Tudo Pelo Poder (The Ides of March)
- Steven Zaillian, Aaron Sorkin e Stan Chervin - O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball, 2011)
- Bridget O'Connor e Peter Straughan - O Espião que Sabia Demais (Tinker Tailor Soldier Spy)

ROTEIRO ORIGINAL 
- Michel Hazanavicius - O Artista (The Artist)
- Kristen Wiig e Annie Mumolo - Missão Madrinha de Casamento (Bridesmaids)
- J.C. Chandor - Margin Call - O Dia Antes do Fim (Margin Call)
- Asghar Farhadi - A Separação (Jodaeiye Nader az Simin)

FOTOGRAFIA
- Guillaume Schiffman - O Artista (The Artist)
- Jeff Cronenweth - Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo)
- Robert Richardson - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Emmanuel Lubezki - A Árvore da Vida (The Tree of Life)
- Janusz Kaminski - Cavalo de Guerra (War Horse)

EDIÇÃO 
- Anne-Sophie Bion e Michel Hazanavicius - O Artista (The Artist)
- Kevin Tent - Os Descendentes (The Descendants)
- Thelma Schoonmaker - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Christopher Tellefsen - O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball, 2011)

DIREÇÃO DE ARTE 
- Laurence Bennett e Gregory S. Hooper - O Artista (The Artist)
- Stuart Craig e Stephenie McMillan - Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2)
- Dante Ferretti e Francesca Lo Schiavo - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Anne Seibel e Hélène Dubreuil - Meia-Noite em Paris (Midnight in Paris)
- Rick Carter e Lee Sandales - Cavalo de Guerra (War Horse)

FIGURINO 
- Lisy Christl - Anônimo (Anonymous)
- Mark Bridges - O Artista (The Artist)
- Sandy Powell - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Michael O'Connor - Jane Eyre
- Arianne Phillips - W.E. - O Romance do Século (W.E.)

MAQUIAGEM 
- Martial Corneville, Lynn Johnston e Matthew W. Mungle - Albert Nobbs (Albert Nobbs)
- Nick Dudman, Amanda Knight e Lisa Tomblin - Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2)
- Mark Coulier e J. Roy Helland - A Dama de Ferro (The Iron Lady)

TRILHA SONORA
- John Williams - As Aventuras de Tintim (The Adventures of Tintin)
- Ludovic Bource - O Artista (The Artist)
- Howard Shore - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Alberto Iglesias - O Espião que Sabia Demais (Tinker Tailor Soldier Spy)
- John Williams - Cavalo de Guerra (War Horse)

CANÇÃO
- "Man or Muppet", de Bret McKenzie - Os Muppets (The Muppets)
- "Real in Rio", de Sergio Mendes, Carlinhos Brown e Siedah Garrett - Rio (Rio)

EDIÇÃO DE SOM 
- Lon Bender e Victor Ray Ennis - Drive (Drive)
- Ren Klyce - Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo)
- Philip Stockton e Eugene Gearty - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Ethan Van der Ryn e Erik Aadahl - Transformers: O Lado Oculto da Lua (Transformers: Dark of the Moon)
- Richard Hymns e Gary Rydstrom - Cavalo de Guerra (War Horse)

MIXAGEM DE SOM
- David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Bo Persson - Millennium - Os Homens que Não Amavam as Mulheres (The Girl with the Dragon Tattoo)
- Tom Fleischman e John Midgley - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Deb Adair, Ron Bochar, Dave Giammarco e Ed Novick - O Homem que Mudou o Jogo (Moneyball, 2011) 
- Greg P. Russell, Gary Summers, Jeffrey J. Haboush e Peter J. Devlin - Transformers: O Lado Oculto da Lua (Transformers: Dark of the Moon)
- Gary Rydstrom, Andy Nelson, Tom Johnson e Stuart Wilson - Cavalo de Guerra (War Horse)

EFEITOS VISUAIS
- Tim Burke, David Vickery, Greg Butler e John Richardson - Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2)
- Rob Legato, Joss Williams, Ben Grossman e Alex Henning - A Invenção de Hugo Cabret (Hugo)
- Erik Nash, John Rosengrant, Dan Taylor e Swen Gillbert - Gigantes de Aço (Real Steel)
- Joe Letteri, Dan Lemmon, R. Christopher White e Daniel Barrett - Planeta dos Macacos: A Origem (Rise of the Planet of the Apes)
- Scott Farrar, Scott Benza, Matthew Butler e John Frazier - Transformers: O Lado Oculto da Lua (Transformers: Dark of the Moon)

DOCUMENTÁRIO
- Danfung Dennis e Mike Lerner - Hell and Back Again
- Marshall Curry e Sam Cullman - If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front
- Joe Berlinger e Bruce Sinofsky - Paradise Lost 3: Purgatory
- Wim Wenders e Gian-Piero Ringel - Pina
- TJ Martin, Dan Lindsay e Richard Middlemas - Undefeated

CURTA DOCUMENTÁRIO
- Robin Fryday e Gail Dolgin - The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement
- Rebecca Cammisa e Julie Anderson - God Is the Bigger Elvis
- James Spione - Incident in New Baghdad
- Daniel Junge e Sharmeen Obaid-Chinoy - Saving Face
- Lucy Walker e Kira Carstensen - The Tsunami and the Cherry Blossom

CURTA-METRAGEM 
- Peter McDonald - Pentecost
- Max Zähle e Stefan Gieren - Raju
- Terry George - The Shore
- Andrew Bowler e Gigi Causey - Time Freak
- Hallvar Witzø - Tuba Atlantic

CURTA DE ANIMAÇÃO 
- Patrick Doyon - Dimanche
- William Joyce e Brandon Oldenburg - The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore
- Enrico Casarosa - La Luna
- Grant Orchard e Sue Goffe - A Morning Stroll
- Amanda Forbis e Wendy Tilby - Wild Life

PRÊMIOS HONORÁRIOS
- James Earl Jones
- Dick Smith

PRÊMIO HUMANITÁRIO JEAN HERSHOLT
- Oprah Winfrey

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Guerreiro

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

Guerreiro (Warrior, 2011)

Estreia oficial: 9 de setembro de 2011
Estreia no Brasil: lançado diretamente em DVD
IMDb



O roteiro de "Guerreiro", escrito por Gavin O'Connor (que também o dirige), Anthony Tambakis e Cliff Dorfman, tira proveito do esporte do momento, o MMA (Mixed Martial Arts), como pano de fundo para um melodrama familiar repleto de amarguras. O grande diferencial aqui, é que a história preocupa-se em desenvolver bem seus personagens, fazendo com que nós espectadores, consigamos tanto repreender quanto torcer por cada um dos vértices desse triângulo familiar, formado por Paddy Conlon (Nick Nolte), o pai, e seus filhos, Brendan (Joel Edgerton) e Tommy (Tom Hardy).

A história entre os três vai se desenvolvendo e vamos, aos poucos, descobrindo a razão de tanta inimizade e do seu afastamento. O primeiro terço do filme fica reservado para o desenvolvimento individual de cada personagem. Assim, o pano de fundo, o MMA, vai sendo introduzido aos poucos, até que ganha maior projeção no terço final, quando um torneio desenvolve-se com tamanha veracidade.

A direção de O'Connor é muito precisa, e consegue transitar bem entre os momentos de maior dramaticidade do começo, e uma ótima decupagem da parte final, quando as lutas acontecem. Aliás, tais coreografias impressionam não apenas pela sua montagem, mas também pela ótima edição de áudio, o que lhes garante um ar mais realista.

Mas são mesmo os personagens e as atuações de seus atores o que torna "Guerreiro" mais do que um simples filme de esportes. John Edgerton (do ótimo "Reino Animal") está bem como um pai de família dividido entre a promessa que fez à esposa de que não mais ganharia a vida 'levando porrada', e a chance de ganhar dinheiro de modo mais rápido afim de não perder sua casa. Ele também dá aulas de física para o ensino médio, e o contraste que Edgerton consegue imprimir é gritante: quando está com seus alunos ou em casa com a família tem um ar responsável e acolhedor; já quando está dentro do ringue, impressiona pela resistência com que enfrenta seus adversários. Já Tom Hardy está um 'monstro', e sua potência física já impressiona apenas ao olharmos para ele; mas são nos momentos de maior introspecção de seu personagem que o ator cresce. Extremamente calado, Tommy consegue demonstrar apenas por sua postura a vida sofrida e repleta de decepções pela qual passou. Seu ressentimento com o pai e com o irmão mais velho, e sua lealdade à viúva de um ex-companheiro da época em que era fuzileiro naval, tornam-no, talvez, o personagem mais complexo da história. Se bem que o páreo é duro, já que seu pai, Paddy, não fica muito atrás. Ex-treinador de sucesso, o sujeito perdeu tudo o que tinha, família e carreira, devido ao alcoolismo. Quando conhecemos Paddy, porém, ele já está 'limpo' há bastante tempo, e tenta reaproximar-se dos filhos, procurando pelo perdão destes. E Nick Nolte está ótimo. Sua fala arrastada, seu jeitão 'lento' e seu olhar sofrido revelam um homem que tem consciência do mal que causou aos seus familiares, mas que luta por uma redenção.

Enfim "Guerreiro" é isso mesmo, um filme de redenção. Um filme de MMA que sabe utilizar-se do esporte para dar ainda mais dramaticidade à sua história principal, dando tempo para que seus personagens se desenvolvam corretamente. Ao final do longa, é impossível não se sentir tocado pela história dessa sofrida família, e isso acontece porque nos importamos com cada um deles.

Fica a dica!


por Melissa Lipinski


 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

A Invenção de Hugo Cabret

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

Invenção de Hugo Cabret, A (Hugo, 2011)

Estreia oficial: 23 de novembro de 2011
Estreia no Brasil: 17 de fevereiro de 2012
IMDb



Nunca imaginei que veria os filmes de George Méliès no cinema… E ainda mais em 3D! Portanto, para esta apaixonada pela História do Cinema que vos escreve, "A Invenção de Hugo Cabret", de Martin Scorsese, tem um 'gostinho' a mais. Foi impossível não sorrir e me emocionar ao ver fragmentos tanto das obras de Méliès quanto de outros grandes cineastas do cinema mudo projetadas na telona.

Porém, não se pode deixar levar apenas pela emoção e, analisando o filme de Scorsese mais friamente, é impossível não notar algumas 'notas dissonantes' no resultado final. É como se, de um lado, o diretor acertasse em cheio ao resgatar a memória da Sétima Arte, e o espírito de se preservar a história; porém, de outro, Scorsese 'pesa a mão', em uma história que se estende além do necessário e possui um bom número de personagens secundários totalmente irrelevantes para a narrativa.

O roteiro de John Logan (baseado no livro de Brian Selznick) conta como o órfão Hugo Cabret (Asa Butterfield), vivendo no interior das paredes de uma grande estação ferroviária de Paris, e tentando consertar um autômoto deixado por seu pai (Jude Law), acaba descobrindo a verdadeira identidade de um ranzinza vendedor de brinquedos (Ben Kingsley). Claro que, para isso, vai contar com a ajuda da filha adotiva do tal vendedor, Isabelle (Chloë Grace Moretz), ao mesmo tempo em que tenta escapar da perseguição implacável do inspetor da estação (Sacha Baron Cohen).

É bom deixar claro que o filme (assim como o livro em que é inspirado) é uma obra de ficção, e acaba 'alterando' a história do Cinema - mais especificamente a de Méliès - para torná-la mais dramática. E Scorsese parece ter achado a obra ideal para falar de uma de suas grandes paixões: o Cinema em si, e a necessidade da preservação da sua origem. Assim, no que diz respeito a esse aspecto o longa é impecável, e nos remete a uma verdadeira viagem aos princípios da Sétima Arte, mostrando trechos de "A Chegada do Trem na Estação" e "A Saída dos Operários da Fábrica Lumière" (ambos de 1895, dos irmãos Lumière), "O Beijo" (1896, de William Heise), "O Grande Roubo do Trem" (1903, de Edwin S. Porter), "Intolerância" (1916, de D. W. Griffith), "O Garoto" (1921, de Charles Chaplin), "A General" (1926, de Buster Keaton), "A Caixa de Pandora" (1929, de Georg Wilhelm Pabst), apenas para citar os que reconheci logo de cara (além, claro, de partes dos diversos filmes de Méliès).

Impecável também é a qualidade técnica do longa: desde seus grandiosos e cuidadosamente montados cenários (o interior das paredes da estação de trem; a própria estação, imponente; a amontoada livraria de Monsieur Labisse - Christopher Lee; a perfeita recriação do estúdio de Méliès), passando pela bela fotografia de Robert Richardson, que aposta principalmente no tom amarelado (ou sépia), além da edição fluida e que consegue mesclar (sem que percebamos) elementos reais com os virtuais, o excelente trabalho da equipe de efeitos especiais, e a ótima utilização do 3D.

Porém, ao voltar-se para a trama principal, envolvendo o jovem Hugo e sua busca em consertar o autômato - único elemento que ainda o liga ao seu falecido pai, Martin Scorsese parece meio perdido (talvez por estar pisando em um território novo, já que nunca havia comandado uma aventura infanto-juvenil), e abusa do melodrama. Sem contar, como falei, as inúmeras tramas paralelas que nada beneficiam o desenvolvimento da história e acabam fazendo justamente o contrário: tornam a narrativa mais arrastada e cheia de 'barrigas'. E ainda que contem com atores de gabarito como Christoper Lee, Richard Griffiths, Frances de la Tour e Emily Mortimer em boas perfomances, e possam até garantir uma ou outra risada pelo caminho, acabam servindo apenas para reiteração de um discurso já entendido pelo restante do contexto da obra.

Mas como falei no início, "A Invenção de Hugo Cabret" encantou-me de uma forma toda particular, e o resultado final, apesar de não ser perfeito, soou-me muito além do satisfatório. Além é claro, da mesma forma que "O Artista", possuir todo o mérito de resgatar um período da História do Cinema para novas gerações.

Fica a dica!


por Melissa Lipinski


 
 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A Dama de Ferro

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

Dama de Ferro, A (The Iron Lady, 2011)

Estreia oficial: 26 de dezembro de 2011
Estreia no Brasil: 17 de fevereiro de 2011
IMDb



Margaret Thatcher foi uma das mulheres (senão 'a' mulher) e uma das figuras políticas (dentre homens e mulheres) mais influentes do século passado. Sua personalidade forte, suas decisões polêmicas e suas fortes convicções políticas garantiram que fosse eleita três vezes a Primeira Ministra da Grã-Bretanha (uma marca até hoje inigualada). Portanto, era de se esperar que o filme que retratasse a trajetória dessa mulher fosse, no mínimo, interessante. Porém, apesar de uma estupenda atuação de Meryl Streep e uma ótima maquiagem, não há nada, mas nada mesmo que se salve nesta produção.

O roteiro escrito por Abi Morgan adota uma estrutura narrativa não apenas deselengante, mas extremamente desmerecedora da figura da Dama de Ferro, optando retratá-la como uma senhora senil (não se sabe por causa do mal de Alzheimer ou loucura) que revê momentos entrecortados de sua vida enquanto é atormentada pelo fantasma de seu marido morto, Denis (Jim Broadbent). Assim, a narrativa intercala-se entre Thatcher em sua casa falando com um alucinação, e flashbacks que não conseguem dimensionar a grandeza da mulher que tinha em mãos para retratar.

Nunca contextualizando a vida política da ex-Primeira-Ministra, os flashbacks saltam de um acontecimento a outro, sem jamais explicá-los. Assim, em um momento a vemos decidindo se candidatar ao Parlamento, e logo em seguida, já ficamos sabendo que ela foi eleita, para logo depois vermos, com surpresa, que já se tornara líder do Partido Conservador, para, num salto parecido de tempo, descobrirmos que já é Ministra da Educação e, como num passe de mágica, Primeira-Ministra. Tal estrutura impede que a personagem consiga evoluir diante de nossos olhos, e vemos suas transformações como formalidades necessárias e impostas pelo roteiro, e não como uma evolução natural ou amadurecimento daquela mulher.

Mas não apenas o desenvolvimento da personagem é falho. Toda a situação política, o contexto, é equivocado. Assim, Thatcher é sempre colocada como uma espécie de 'salvadora da pátria', e os problemas e crises pelos quais a Inglaterra passava são retratados como sendo alheios à figura da Primeira-Ministra. Como se ela estivesse ali para tentar contorná-los a todo modo, e não fosse, também, a sua causa. Assim, tanto a roteirista quanto a diretora, Phyllida Lloyd (do abominável "Mamma Mia!"), posicionam-se como 'passando a mão na cabeça' de Thatcher, fechando os olhos para seus reais atos políticos. E o que dizer da cena que a coloca como alta estrategista de guerra, diante de uma mesa repleta de miniaturas de navios, como se, sozinha, houvesse arquitetado a vitória da Inglaterra na Guerra das Malvinas?! Ou então, os momentos em que se coloca como a 'mãe de todos', servindo chá logo depois de uma discussão política, ou escrevendo de próprio punho cartas para as famílias dos soldados mortos na Guerra!?

Contando ainda com uma direção repleta de equívocos de Lloyd, que abusa dos clichês e posicionamentos/movimentos de câmera 'padrão' para reafirmar seu discurso, chega a ser chocante que uma atriz do calibre de Meryl Streep, pela segunda vez, trabalhe em parceria com a diretora - e novamente em um projeto que beira o patético.

E chega a espantar - e confirmar o seu imenso talento como atriz - o fato de Streep conseguir uma atuação brilhante mesmo em 'situações adversas'. Não apenas os gestos e a postura da Dama de Ferro são brilhantemente (e naturalmente) incorporados pela atriz, como a sua mudança de tom de voz ao longo de sua carreira. E, mesmo a patética figura da Thatcher 'insana' retratada por Lloyd, consegue ganhar alguns contornos mais comoventes quando Meryl Streep toma conta das cenas.

Como falei no início, há que se destacar também o ótimo trabalho de maquiagem, que convence justamente pelos detalhes: basta notar a maquiagem do pescoço e mãos da Thatcher envelhecida para compreender o que estou falando. Um trabalho que, assim como o de Streep, destoa do seu produto final.


por Melissa Lipinski


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Uma Vida Melhor

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

Vida Melhor, Uma (A Better Life, 2011)

Estreia oficial: 29 de julho de 2011
Estreia no Brasil: será lançado diretamente em DVD
IMDb



"Uma Vida Melhor", do diretor Chris Weitz, é repleto de humanidade em seus menores detalhes. Uma humanidade que vai desde colocar sentimentos paternais em truculentos membros de uma gangue, até o fato de um senhor roubar a caminhonete e as ferramentas da única pessoa que lhe ofereceu trabalho, para poder alimentar sua família.

E o que torna essa produção tão forte e contundente é a sua capacidade de se colocar próxima do espectador. Talvez o fato de sermos brasileiros contribua para isso, já que os protagonistas deste longa são mexicanos emigrados para os Estados Unidos e que, assim como (e ainda em maior quantidade) muitos brasileiros sofrem com a sua situação ilegal naquele país. Porém, independente disso, é fato que o roteiro de Eric Eason consegue a proeza de transformar esses personagens em pessoas 'comuns' - uma história que muito bem poderia acontecer com um vizinho, um amigo, um parente, ou até com você mesmo, tamanha é a coloquialidade do seu discurso.

A relação entre pai e filho, Carlos (Demián Bichir) e Luis (José Julián), é o que norteia a narrativa. Assim como as escolhas que ambos fazem para, como diz o título, ter "uma vida melhor". Não são escolhas grandiosas ou 'de vida ou morte', mas pequenas decisões, dessas que tomamos todos os dias, e que estabelecem nossas ações e nos definem como pessoa.

A opção de Weitz em manter um 'ar documental', com sua câmera colocada, na maioria das vezes, próxima aos atores, e uma fotografia mais naturalista ajuda na identificação e aproximação do espectador. O cineasta também acerta no tempo em que dá para seus atores desenvolverem seus personagens e demonstrarem seu talento. Surpreendente eu diria, já que Weitz até fez um ótimo trabalho em "Um Grande Garoto" (2002), mas seus últimos trabalhos deixavam a desejar: "A Bússola de Ouro" (de 2007, que tem seus momentos, é verdade); e o péssimo "A Saga Crepúsculo: Lua Nova" (2009).

Mas são mesmo as atuações que elevam o valor de "Uma Vida Melhor". José Julián consegue transmitir toda a angústia e indecisão de um adolescente que cresce dividido entre duas (ou mais) realidades: a mexicana (representada por seu pai, e cujo idioma, espanhol, já não é mais a sua língua-mãe), e a estadunidense (o país em que praticamente se criou - e seu inglês quase sem sotaque denota claramente isso); o caminho do trabalho duro, que certamente não lhe trará riquezas (afinal é um mexicano pobre vivendo com um pai ilegal), ou o envolvimento com gangues - o que poderia lhe proporcionar maiores facilidades econômicas. Mas é mesmo Dámian Bichir a 'alma' do longa - o seu Carlos é um homem correto, que cuida sozinho do filho adolescente, e cuja maior preocupação é ver seu filho crescer honestamente e se tornar um homem respeitável. Há preocupação e tristeza no olhar de Carlos, mas há também amor e carinho. E são nos momentos de maior intimidade entre pai e filho, que a atuação de Bichir cresce e 'engole' a tela - não há como não se emocionar com aquele sujeito tão verdadeiro.

Mas há problemas, é claro. Ao meu ver, principalmente no ritmo da narrativa e com relação à trilha musical, que parece tentar evocar sentimentos grandiosos, épicos demais, enquanto deveria apostar numa abordagem mais intimista, como o restante do filme o faz.

No geral, porém, mostrando uma Los Angeles que comumente não é vista nos filmes, com sua diversidade cultural, social e econômica - e não como cartões postais de Hollywood -  "Uma Vida Melhor" comove por colocar temas maiores, como os imigrantes ilegais ou a falta de oportunidade de trabalho, como pano de fundo para um drama muito mais intimista: o relacionamento entre um pai e seu filho.

E nunca achei que fosse dizer isso a respeito de um filme de Chris Weitz, mas há muito de "Ladrões de Bicicleta" (1948, de Vittorio De Sica), em "Uma Vida Melhor".

Fica a dica!


por Melissa Lipinski


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Chico & Rita

ATENÇÃO: O texto pode conter citações sobre o desenrolar do filme. Caso não tenha visto o filme ainda, tenha cuidado ou o leia após assisti-lo.

Chico & Rita (2010)

Estreia oficial: 19 de novembro de 2010
Estreia no Brasil: sem data prevista
IMDb



"Chico & Rita", dirigida por Fernando Trueba, Javier Mariscal e Tono Errando, é uma animação voltada para o público adulto e que conta uma história simples e melodramática por natureza (afinal tem-se o amor - desencontrado e sofrido - e a música como temas centrais aqui).

O roteiro de Trueba e Ignacio Martínez de Pisón conta a história do amor 'caliente' entre Chico, um exímio pianista, e Rita, uma belíssima e sensual cantora com uma voz doce, forte e melodiosa. Porém, nada será tão simples para os dois amantes, e entre idas e vindas, crises de ciúmes e traições, Havana e Nova York, a história dos dois vai se delineando através de várias décadas.

A animação, um misto da tradicional técnica 2D com a tecnologia digital, encanta com seu traço bem delimitado que recria com perfeição paisagens detalhadas das cidades onde a história se passa. A recriação das décadas de 1940 e 50, tanto em Cuba como nos Estados Unidos, é detalhista e de um notável primor. E os detalhes dos traços de Javier Mariscal são incríveis, desde um descascado numa parede de um simplório apartamento de Havana, passando pelas luzes de uma Manhattan vista de navio, até o charme e elegância das ruas de Paris, tudo finalizado com uma iluminação igualmente inspirada.

Chama a atenção também a maneira sensual porém delicada com que os realizadores retratam as cenas de sexo entre o casal. Como falei, é uma animação para adultos e há cenas bastante ousadas, mas que são conduzidas de forma nada vulgar.

E, se a história de amor entre o casal não traz nenhuma novidade e chega a recorrer a alguns clichês em seu percurso, é pontuda bela belíssima trilha musical de Bebo Valdés (músico em quem o personagem de Chico é baseado), que relembra o auge do jazz latino (uma mistura do típico jazz estadunidense com o mambo, e que teve seu expoente com os músicos cubanos que migraram para os EUA nos anos 1950).

Enfim, com um ritmo um pouco oscilante e um final um tanto quanto forçado (ainda que poético), "Chico & Rita" consegue manter-se sobretudo pela força de sua trilha musical, que com canções ora conhecidas, ora nem tanto, embalará a todos nessa aventura amorosa que vale mais pela sua jornada do que pelo seu desfecho propriamente dito.

Fica a dica!


por Melissa Lipinski